Barcos coloridos e prédios históricos: o cenário de um “doce” passeio por Aveiro, Portugal

Eu e as pequenas Isa e Soph

O dia não poderia estar melhor: sol e temperaturas agradáveis. Eu, as crianças (minhas filhas Sophia e Isabella) e meus pais saímos de Braga de manhã e percorremos cerca de 130 quilômetros de carro até a Aveiro, a cidade conhecida como Veneza Portuguesa. O motivo? Os canais da Ria que permitem aos visitantes conhecer um pouquinho de Aveiro de dentro dos barcos coloridos, os barcos moliceiros. E logo de chegada, adivinha o que as crianças queriam? O passeio de barco!

Então, lá fomos nós! Pagamos 10 euros por adulto para embarcar num viagem colorida, divertida e cultural. De dentro dos barcos, dá para ver o centro histórico, as construções em estilo Art Nouveau, prédios centenários de múltiplas cores que alegram a paisagem, pontes sobre os canais, dá para ver as pirâmides de sal branco das salinas… é de encher os olhos!

Nosso barqueiro ainda escolheu o fado como trilha sonora para que o clima fosse mesmo o das terras lusitanas.

Nós não utilizamos, mas na cidade há uma coisa muito legal para quem gosta de pedalar: o empréstimo gratuito de bicicletas. Quem optou por esse passeio foi o casal de gaúchos Liliane Machado e Vinicius Figueiredo. Eles estão morando em Braga desde setembro deste ano e aos finais de semana se aventuram pela região. Liliane conta a experiência:

“Preferimos pedalar nas BUGAs (bicicletas) e foi ótimo para definir onde iríamos a pé depois. Perder-se pelos becos do centrinho é sempre uma boa pedida em cidades históricas. As pontes sobre a ria ajudam no passeio, a mais linda e mais fotografada é a Ponte da Amizade, em que fitas coloridas são convidativas para um bom click”.

foto

Liliane na Ponte da Amizade

A cidade tem água para todo o lado; além dos canais, como fica na costa oeste também é banhada pelo oceano, característica que explica a descrição da cidade pelo escritor José Saramago. Ele escreveu que a Ria de Aveiro é um “corpo vivo que liga a terra ao mar como um enorme coração”.
Depois de passear de barco e caminhar pelas ruas do centrinho, fomos até o litoral. A praia tem uma faixa extensa de areia. As crianças adoraram brincar e, é claro, encheram-se de areia! Para quem quer caminhar sem sujar os pés (eu e meus pais), há trilhos em madeira na beira mar. Nós fomos de carro do centro histórico até o mar, mas há a opção de usar autocarro (ônibus) como fizeram a Liliane e o marido:

“Visitamos a Praia da Costa Nova. Pegamos um autocarro no centro e fomos até a cidade vizinha Ilhiavo, onde fica a praia, a viagem custa pouco mais de 2€. O local é conhecido pelas casinhas listradas e coloridas, foi um passeio dentro do passeio e valeu muito a pena”.

Ah, e é claro que nem só de história e belas paisagens se faz esse passeio! Tem ainda os doces de Aveiro! A cidade é famosa pelo sabor dos ovos moles!

Nós provamos, é claro! Eu e meus pais, porque as meninas escolheram os tradicionais brigadeiros que também eram vendidos na confeitaria! Além de aguçar o paladar, a origem do doce também é interessante e curiosa: os tradicionais ovos moles de Aveiro têm origem no século XVI, no Convento de Jesus de Aveiro. Segundo registros, enquanto as claras de ovos eram usadas para serviços domésticos – como engomar roupas, por exemplo – as gemas eram descartadas. Até que uma das freiras teve a brilhante ideia de juntar açúcar e criar essa maravilha. Depois de fechado o templo, a receita se perpetuou através de uma empregada das religiosas. A história conta ainda que o formato (servidos em hóstias, obreia) é por influência das formas que remetem à cidade de Aveiro: peixes, búzios ou conhas do mar.

Os doces de Aveiro

Liliane e o marido também provaram as guloseimas e assim descrevem essa atração: “as padarias mostram orgulhosas o típico doce em vitrines de encher os olhos e provocar os sentidos gustativos. O que mais gostamos foi o tradicional, que é molinho por dentro e por fora tem uma casquinha feita com textura de hóstia…e são baratos: pagamos 0,90€ por um um ovo mole e um café expresso”.

O casal de gaúchos, Liliane e Vinícius, que estão morando em Braga desde setembro e foram conhecer Aveiro

Depois de pedalar por Aveiro e recarregar as energias com os doces tradicionais, o casal de gaúchos recomenda o passeio:

“É um charme de cidade, e recomendamos o passeio, um dia é suficiente para conhecer boa parte das atrações, mas se você for daquela pessoa que gosta de entrar em todas as igrejas e dedicar boa parte aos museus, é melhor reservar dois dias”.
Nós também recomendamos! Aveiro é daquelas cidades que deixam um gostinho de “quero mais”!

Michele Dias

Jornalista, formada pela UFSM, especialista em Comunicação e Linguagem pela Unifra. Com experiência em televisão, aventura-se agora no mundo digital. Profissional em transformação, ser humano adaptando-se às mudanças, abrindo-se ao novo, mas sempre com a mesma paixão pela escrita, pela família e pelas coisas boas da vida

Inscreva-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *